Os convênios médicos cobrem esse tipo de cirurgia?

Todos os convênios médicos são obrigados a cobrir esse tipo de cirurgia.

Quanto custa uma Cirurgia Ortognática?

O custo depende dos procedimentos que serão feitos, pois quanto mais longa a cirurgia, maiores serão os custos. Na consulta inicial ou após o planejamento do caso, o cirurgião buco-maxilo-facial estabelecerá o plano de tratamento, o custo e condições de pagamento. Hoje, este tratamento está mais acessível à população.

Que profissional devo procurar para me orientar e planejar o tratamento?

O correto é procurar por um ortodontista ou um cirurgião buco-maxilo-facial. Antes de começar o tratamento, estes profissionais devem se reunir para discutir e planejar o caso juntos.

É preciso ficar com a boca amarrada após as cirurgias?

Não, pois a fixação óssea é feita com mini-placas e miniparafusos de titânio, que são biocompatíveis e fornecem uma imobilização rígida o suficiente para permitir que o paciente fique com a boca aberta após a cirurgia, podendo se alimentar melhor e higienizar a cavidade bucal.
Este material é o mesmo com o qual se fazem implantes dentários e não necessita ser removido. Existem também placas e parafusos reabsorvíveis, que dentro de 12 meses o próprio organismo se incumbi de eliminá-los.

Onde e como são feitas as cirurgias?

São realizadas em hospital e sob anestesia geral, sempre com acompanhamento integral do médico anestesista. As incisões (cortes) são feitas todas por dentro da boca, portanto, não deixam cicatrizes na pele. A duração da operação depende do procedimento a ser feito e o período de permanência do paciente no hospital normalmente é de um dia, continuando depois a sua recuperação em casa.

Como é a recuperação deste tipo de cirurgia?

Não é dolorida, apenas ocorre muito inchaço até o terceiro ou quarto dia após a cirurgia. Depois, regride rapidamente, e os pacientes podem voltar para o trabalho (sem esforços físicos) por volta de 10 ou 15 dias após o procedimento cirúrgico.

O aparelho melhorará minha mordida antes da cirurgia?

Normalmente não, porque os dentes destes pacientes geralmente estão fora das bases ósseas e isto precisa ser arrumado antes da cirurgia, para que o resultado pós-cirúrgico seja estável, sem recidivas.

É preciso colocar aparelhos nos dentes para fazer a cirurgia ortognática?

Sim. É preciso em quase todos os casos a realização da ortodontia em conjunto com o tratamento cirúrgico. Primeiramente, é realizado o preparo ortodôntico, antes mesmo da cirurgia, melhorando o encaixe dos dentes. Em seguida, é realizada a cirurgia e, finalmente, é feito um refinamento ortodôntico pós-operatório.

Qual é a idade mínima para operar?

O ideal é aguardar o término do crescimento do esqueleto facial, pois, desta maneira, os resultados serão mais previsíveis. No caso de meninas, será por volta dos 14 ou 15 anos de idade. Já os meninos devem fazer com cerca de 17 anos. Existem exames que auxiliam nesta avaliação. Em adolescentes que possam apresentar problemas de convívio social decorrentes da deformidade facial, a cirurgia poderá ser antecipada.

Para quais tipos de problema a Cirurgia Ortognática estará indicada?

A Cirurgia Ortognática é um tratamento indicado para pessoas adultas que têm deformidades envolvendo os ossos da face e os dentes, visando a restabelecer o equilíbrio anatômico da face. Quando não for possível resolver o caso somente com o aparelho ortodôntico, uma vez que o problema está no tamanho dos ossos do esqueleto e não somente na posição dos dentes, faz-se necessária uma correção óssea.

Qual é o objetivo da Cirurgia Ortognática?

A Cirurgia Ortognática é destinada a corrigir as discrepâncias esqueléticas da face, ou seja, tratar os problemas de má oclusão, o que seria impossível ou inadequado fazer “apenas” com aparelhos ortodônticos, quando as alterações na harmonia dos maxilares tornam a cirurgia imprescindível.